sábado, 21 de junho de 2014

A Fotografia



Foto: António Louro & Adrian KW
 
 
Surjo a teus olhos

focada

Em linhas horizontais e verticais, talvez,

em pose apaixonada

por ti.

 

Define os contornos

para saberes que sou sombra,

quando estou iluminada

com a tua luz.

 

Fixa-me no espasmo

de um orgasmo.

É o teu flash

que me torna viva e visível.

 

Foca a objetiva.

Vê quando me perco

no teu olhar

e me torno negativo(a)

nas tuas mãos.

 

Imortaliza-me

na camara escura

onde me mergulhas

e me tornas nitidamente tua.

 

Não me dês rosto.

Dá-me alma.

Reescreve na pelicula

a minha imagem morta.

Escreve-me com a tua caligrafia

com direitos de autor

que me amas

e que sou o teu amor.  

4 comentários:

  1. Maravilhoso poema. Parabéns.

    beijo, bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Poema lindo demais.

    Beijo, bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Ao navegar pela net encontrei o seu blog, não li muito,mas gostei do que vi e li,espero voltar mais algumas vezes,deu para ver a sua dedicação e sempre aprendemos ao ler blogs como o seu.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, e se desejar deixe um comentário.
    Abraço fraterno.António.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Gostei do poema.
    As emoções evocadas são-me uma realidade, por isso o achei espantoso!...
    Parabéns!
    maria

    ResponderEliminar