terça-feira, 29 de setembro de 2015

Quando te esqueço


 
Foto: Arkhipov
 
 
Quando te esqueço,

construo muralhas à volta

do coração

e corto os pulsos

para não ter o tempo

agarrado a mim.

 

Quando te esqueço,

a escuridão agita a imaginação.

Assim caminho nua

nas ruas

onde não estás.

 

Quando te esqueço

envolvo-me em silêncio

e visto-me de afastamento.

Enxugo dos meus olhos

a cor.

 

Quando te esqueço,

deito-me na tua cama.

Voo nas margens do corpo.

O gemido sombrio

prende-me às paredes

do chão.

 

Quando te esqueço,

flutuo.

Sou uma doce intoxicação.

Imutável como o mar.

 

Quando te esqueço

preciso que libertes

da prisão

o meu sorriso.

22 comentários:

  1. A beleza do poema a podemos encontrar na palavra ESQUECIMENTO, mas todo ele contém elegância.
    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Gostei do poema, Ana. Obrigada por teres passado no meu "Ortografia". Passarei aqui outras vezes.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado pela visita no meu cantinho. E por me dar a conhecer o seu.
    Saudade.

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito!!! Bela página♥
    Já estou seguindo. Bj♥
    http://profaadrianadezerto.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  5. Olá! Não se esqueça de visitar o meu espaço de escrita! http://passosnoescuro.blogspot.pt/

    PN

    ResponderEliminar
  6. Nunca esquecemos... Fica apenas guardado...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  7. olá amei seu cantinho!!!!!!!!! Seguindo!!!!!! Beijos
    http://gigicandy29.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  8. Oi,
    Linda poesia. O esquecimento tambem causa
    ações. Não podemos ficar na inercia.
    Adorei seu espaço.
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. desde ja agradeço a sua visita, mas tenho a informar que o blog que visitou (http://poesias-aninha-ferreira.blogspot.pt/) esta parado, pois ja nao costumo escrever poesia. contudo tenho um outro blog que esta mais atualizado de textos soltos (http://diario-de-desabafos.blogspot.pt/) se quiser passar por la sera bem vinda :)

    lindo o poema, tentarei passar por ca mais vezes :)

    ResponderEliminar
  10. Olá boa tarde,
    Adorei o seu poema!
    Um estilo de poesia que aprecio!
    Obrigada pela sua visita.
    Voltarei.
    Um beijo.
    Ailime

    ResponderEliminar
  11. Oi Ana belo poema; o amor tem muitas facetas e por incrível
    que pareça tbm pode ser uma prisão...
    Mas o que sería de nós sem o amor...
    Agradeço pela visita lá na casa e dizer que já tem post novo.
    Bom final de semana.
    janicce.

    ResponderEliminar
  12. Belíssimo poema, Ana.
    Dei uma lida em alguns dos seus poemas e gostei muito do seu estilo poético. Há muita intensidade nos versos.
    Um belo blog. Parabéns!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  13. Ana, que belo poema. Achei a última parte muito bonita mesmo. Parabéns! Obrigada pela sua visita. Volte sempre. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  14. Gostei do seu poema.É muito bonito.
    Grata pela visita.:)

    ResponderEliminar
  15. Aceitei o teu convite, Ana, e gostei muito do espaço. Beijos.

    ResponderEliminar
  16. Linda inspiração. Uma noite maravilhosa para ti. Bjs

    ResponderEliminar
  17. Um lugar de paixões, no feminino. É isso não é AP.
    Obrigado pela visita. Voltarei.

    ResponderEliminar
  18. Tocou-me. Grata pela visita.
    Voltarei sem dúvida, Ana. Um beijo

    ResponderEliminar
  19. Grata pelo convite, e pela visita...
    Ana o coração quando ama, não tem muralhas
    que segurem...

    Gostei do li, é poesia !

    Beijo

    ResponderEliminar