sábado, 14 de janeiro de 2017

Gostas do escuro?



Sou gulosa.

Gosto de sentir o sabor do desejo

na ponta dos dedos.

Para ir sempre

mais além,

na insuficiência

da minha existência.



O que queres não sei.

Deixo o corpo fora da roupa.

Se dizes que gostas de mim,

tens o mundo ao contrário.

Como açúcar quando escrevo,

por isso sou um doce.



Acordas-me com raiva

mas não me mordes.

Entre a saliva e a língua,

Será que podes

pôr-me a morder

o lábio?



Queria dizer tudo

para que desejasses
saber o resto.

Mas isso não interessa.

Quando descobrires o meu lado escondido,

dirás que não presto.



Eu não sou detergente

para lavar roupa suja.

Não poderás acompanhar-me

na diferença.

Sou a que vai pela verdura,

formosa mas pouco segura.



Apenas te pergunto:

gostas do escuro?

2 comentários:

  1. Mais uma vez nos brindas com um excelente poema.. Bem haja por partilhares, um bj

    ResponderEliminar