quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Será que o “ideal” conseguirá acompanhar-me?



Será que conseguirás acompanhar os meus pensamentos, os meus silêncios?

Será que saberás quando deverás afastar-te e quando deves ficar?

Olharás para mim e o que verás? Não me digas o que achas que eu quero ouvir mas o que preciso de escutar.

Conseguirás acompanhar-me nos caminhos sombrios da minha mente nem sempre racional? Não?

Irás fugir e esconder-te quando não conseguires encarar-me? Por não saberes o que dizer?

Irás ouvir me quando te falar ou irás deixar-me a meio de um silencio ou de um olhar fugidio?

Aceitarás o que sou e o que fui ou arranjarás 1001 razões para não o fazeres?

Procurarás em mim um ideal que não existe ou procurarás conhecer a realidade?

Conseguirás ler-me a alma ou verás apenas a superfície para depois dizeres que conheces a essência?

Irás prender-me a ti por comodidade ou satisfação imediata ou por um sentimento válido?

Queres um refúgio ou um local estável para viveres?

O que desejas?

Tens opções, tens de fazer escolhas...


Deves ver o essencial:

Preciso que me acompanhem mas mais que isso, quero que me ajudem a avançar.

3 comentários:

  1. convite para a seguir a história de Alice
    lá no ...continuando assim...


    bj
    Teresa

    ResponderEliminar
  2. "Não me digas o que achas que eu quero ouvir mas o que preciso de escutar."

    Querida amiga, admiro a tua clareza de raciocínio e a forma como te expressas.

    Não sei se existe alguém que te possa ajudar a avançar... penso que terás de ser tu própria a ganhar energia para o fazer. Pelo menos, é sempre bom partir do princípio que quase tudo depende apenas de ti.
    Mas um empurrãozinho dá sempre jeito...

    Querida amiga, bom fim de semana.
    Um abraço.

    ResponderEliminar